Sábado, 18 de Junho de 2016

Museu de Rádio e Televisão no Japão

O Museu de Radiodifusão da NHK (Tóquio), além do piso de entrada, tem dois de exposição e um com biblioteca digital. Nele aprendi duas coisas, a primeira delas a importância dos media eletrónicos na comunicação do século XX. A memória coletiva dos povos reside muito nela. O museu é tecnológico, com apresentação de peças (televisões, rádios), um estúdio de televisão (mas não da rádio) e um arquivo digital de programas de televisão. Há também sons mas não me parece existir em tão grande quantidade como o arquivo de imagens.

O segundo elemento que aprendi foi o da importância da comparabilidade das culturas mediáticas. Embora o Japão mantenha forte as tradições (isso vê-se no teatro e no modo como muitas pessoas, pelo menos em alguns dias, usam quimono), as tecnologias eletrónicas vieram trazer uniformizações (a globalização, como se escreve hoje). Nos momentos em que pesquisei no arquivo de imagens televisivas, encontrei um programa de festival da canção japonês de meados da década de 1960. A orquestração, o tipo de vestuário e mesmo a linha melodiosa de música ligeira eram quase iguais a um programa emitido em Portugal. A grande diferença é a língua.

Tal significa que a definição de programação popular na televisão passou por passos semelhantes em vários países. A influência americana parece-me mais saliente que a europeia no caso de Portugal, a seguir este exemplo acima identificado.

tags: ,
publicado por industrias-culturais às 14:44
link | comentar | favorito
Sexta-feira, 3 de Junho de 2016

Prémio de melhor museu para o Museu da Misericórdia do Porto

O melhor museu de 2016 premiado pela Associação Portuguesa de Museologia é o Museu da Misericórdia do Porto, soube-se hoje. Além da categoria museu, ganhou ainda o prémio de melhor sítio da internet e categoria de aquisição, com a compra da pintura de Josefa de Óbidos, A Sagrada Família.

 

Quanto à melhor exposição coube a O Cabo Submarino num Mar de Conetividades, que esteve patente na Fundação Portuguesa das Comunicações. Telégrafo, comunicação telefónica, cabo coaxial e de fibra ótica e tecnologias da comunicação eram elementos importantes presentes na exposição (no vídeo, visita conduzida por Teresa Salema, membro do Conselho Executivo da Fundação Portuguesa das Comunicações).

tags:
publicado por industrias-culturais às 22:38
link | comentar | favorito
Terça-feira, 17 de Maio de 2016

Públicos dos museus

Li no Público que o visitante dos museus nacionais (perfil social predominante) é um indivíduo relativamente jovem (média de 41 anos no público nacional, 43 no estrangeiro), qualificada em termos de escolaridade e ocupação profissional, que visita o museu por diversos motivos - como conhecer melhor a diversidade cultural ou porque lhe dá prazer -, de acordo com o coordenador do estudo, José Soares Neves. Oito em cada dez são estreantes, um em cada quatro visitantes estrangeiros é francês. O Estudo de Públicos dos Museus Nacionais foi desenvolvido pela Direção-Geral do Património Cultural (que gere catorze museus) e Centro de Investigação e Estudos de Sociologia do Instituto Universitário de Lisboa. Foram validados 14 mil questionários em computadores colocados no final da visita (47% portugueses, 53% estrangeiros).
tags:
publicado por industrias-culturais às 10:44
link | comentar | favorito
Sexta-feira, 15 de Abril de 2016

NewsMuseum (Sintra)

Hoje, integrado num grupo, visitei o NewsMuseum (Media Age Experience), em Sintra, cuja inauguração está apontada para 25 de abril próximo (gentileza de Luís Paixão Martins).

A ideia do museu nasceu um ano atrás e teve 80 colaboradores a trabalhar até chegar ao momento de apresentação pública, num espaço de 900 metros quadrados, mesmo no centro de Sintra. Destaques, para mim, da recriação de espaço de emissão de rádio, do lounge e interatividade com imagens, páginas e vídeos (históricos e depoimentos de profissionais e investigadores, que narram a história do media e do jornalismo ao longo de várias salas (de guerra, fotojornalismo, desportivo, jornalismo e cinema, sala dos imortais, ética e liberdade de imprensa, realidade virtual - desmaterialização dos media), cada qual com o seu curador (profissional ou especialista que apresenta o conteúdo da sala, equipamentos de televisão.

A jóia do museu é a torre de Babel, uma enorme coluna que acompanha a altura dos diversos andares, com ecrãs ligados a 90 canais de televisão. Mas ainda a sala da propaganda, com cartazes políticos ao longo das últimas décadas, em que se pode colar um cartaz (isto é, simular a sua colagem), com um mural do criador de murais do MRPP junto a um busto de António Ferro, dentro da ideia de contradição máxima: o que é próximo e o que é distante.Ou a sala dos duelos, de que recordo o debate Soares-Cunhal (e a frase: "olhe que não, olhe que não"). Diretor: Rodrigo Manuel Botelho Moniz Moita de Deus (pelo nome, descobre-se logo ser bisneto do fundador de Rádio Clube Português, Jorge Botelho Moniz) [numa das fotografias a "colar" um cartaz]. Ver mais em NewsMuseum.

Já estou a ver o Newsmuseum a ganhar o prémio de melhor museu do ano. Pelo conteúdo, pelas ideias inovadoras nas diversas salas e pelas tecnologias de interatividade!




[António Ribeiro, António Mocho, João David Nunes, Luís Paixão Martins, Joaquim Furtado, Rogério Santos à porta do #NewsMuseum. Ligados à Rádio, desta ou daquela maneira. — com António RibeiroAntónio MochoJoão David Nunes,Joaquim Furtado e Rogério Santos em Vila De Sintra]



tags: ,
publicado por industrias-culturais às 22:30
link | comentar | ver comentários (1) | favorito
Quarta-feira, 13 de Abril de 2016

2º Encontro de Casas-Museus

22 de abril, na Casa-Museu Abel Salazar.


tags:
publicado por industrias-culturais às 19:00
link | comentar | favorito
Domingo, 27 de Março de 2016

Côa ou as gravuras não sabem nadar

A guia que nos levou ao sítio da Penascosa (praia fluvial na margem direita do rio Côa), onde se encontra um património valioso de arte rupestre do Vale do Côa classificada como património mundial, era muito competente. De conversa paralela ao seu trabalho de guia, ficámos a saber que é necessário frequentar um curso de Guias de Arte Rupestre do Coa, com formação específica em arte rupestre e seu contexto arqueológico.


Rapidamente, nos pôs a ler os traços e o significado em termos de animais representados: auroque, cabra e cavalo. Das interpretações e das dúvidas sobre como se teriam inscrito na pedra aquelas gravuras, foi tudo explicado, levando-nos ao museu de Côa, um magnífico edifício mas parecendo um bunker de guerra nuclear, o que amedronta um pouco.

Lá dentro, com excesso de informação visual, talvez a agradar a uma população juvenil que toma contacto pela primeira vez com um mundo de 25 mil anos antes do presente (BP - before present, com está escrito no texto em português). Pirotécnico, diria eu, ao ver citações de professores de reconhecida notoriedade da Universidade Nova de Lisboa mas cujos trabalhos de arte rupestre ignoro junto a imagens explicativas da evolução da cultura naquele vale. Sei que se podem reduzir as gravuras a simples (ou complexos) signos, mas daí a ter citações de professores dedicados a semiótica ou filosofia da linguagem parece-me exagerado. Sem me querer centrar nas citações, estas soam a soundbites dos jornalistas e dos técnicos de relações públicas.

Felizmente que a anunciada barragem no Côa não foi para a frente. Ficou um magnífico património num local de uma enorme beleza. E de fora ficou uma recente polémica de dificuldades financeiras, com histórias de jipes avariados. Houve jipe e houve explicações bem feitas pela guia. Lembrei-me do conceito ou grito "As gravuras não sabem nadar", a partir da música dos Black Company (1994) Não sabe nadar.
publicado por industrias-culturais às 14:02
link | comentar | favorito
Quinta-feira, 24 de Março de 2016

Museu de Lamego

O Museu de Lamego está instalado no antigo paço episcopal, no largo de Camões, onde ficam alguns edifícios de grande valor histórico como a catedral. Reedificado na segunda metade do século XVIII, o palácio serviu de residência a oito prelados que ocuparam o governo da diocese de Lamego (1773-1911). O museu começou a ser instalado em 1907, quase a fazer um século. Tem tapeçarias flamengas e francesas dos séculos XVI e do XVII, ourivesaria, cinco painéis de retábulo pintado por Grão Vasco (século XVI) e peças de heráldica, túmulos, estelas funerárias, lápides, esculturas e elementos arquitetónicos de edifícios demolidos (informação do próprio museu).





tags:
publicado por industrias-culturais às 19:09
link | comentar | favorito
Quarta-feira, 23 de Março de 2016

Museu do Douro

O Museu do Douro define-se como museu de território, vocacionado para reunir, conservar, identificar e divulgar o património museológico e documental disperso pela região, dentro de uma perspetiva de "museologia de comunidade" (da documentação explicativa do museu). Situado no Peso da Régua, o edifício do museu está relacionado com a fundação da Companhia Geral da Agricultura das Vinhas do Alto Douro (1756), que criou a primeira zona vinícola regulada do mundo.




tags:
publicado por industrias-culturais às 19:27
link | comentar | favorito
Terça-feira, 15 de Março de 2016

"Museu Nacional Grão Vasco: Reservas em Bruto" no Centro Cultural de Cascais

Museu Nacional Grão Vasco: Reservas em Bruto. Pintura e Escultura dos séculos XVI e XVII vai estar em exposição no Centro Cultural de Cascais, da Fundação D. Luís I, entre 19 de Março e 19 de Junho de 2016.

A exposição, que se integra na celebração do primeiro centenário do Museu Nacional Grão Vasco (Viseu), apresenta obras de pintura e escultura dos séculos XVI e XVII.  O percurso expositivo encontra-se dividido em seis núcleos: A partir de Grão Vasco, Olhar um Olhar, Espaço Absoluto, Composições Retabulares, Imaginária Devocional e O Toque do Invisível, este um espaço com conteúdos multimedia que permite ao público conhecer obras do Museu Nacional Grão Vasco não fisicamente representadas na exposição [informação recebida da organização do evento].

[imagem: Batismo de Cristo, 1550-60, Mestre de Lordosa - Oficina de Viseu. Proveniência: Igreja Paroquial de Vil de Soito. Óleo sobre madeira]
publicado por industrias-culturais às 13:52
link | comentar | favorito
Domingo, 13 de Março de 2016

News Museum, Sintra

O NewsMuseum, museu dedicado às notícias, aos media e à comunicação, situado em Sintra, tem inauguração prevista para 25 de abril de 2016. O museu ocupa as antigas instalações do Museu do Brinquedo e divide-se em temas como spin wall, géneros, contrários, propaganda, bad news, guerras e mind games. Pretende ser uma Media Age Experience, "janela aberta para o mundo dos media e da comunicação, e para o impacto destes na sociedade, recorrendo para isso a uma forte componente digital e tecnológica".

A Associação Acta Diurna, promotora do projeto e presidida por Luís Paixão Martins, vai investir cerca de 1,8 milhões de euros no museu. O projeto conta com o apoio da Câmara Municipal de Sintra, que cedeu o imóvel no centro histórico por 20 anos à associação Acta Diurna. O fundador da TSF, Emídio Rangel, foi escolhido pelos comissários do módulo "imortais" para figurar no grupo dos fundadores dos grandes meios de comunicação atuais.

O museu é interativo e tem vários jogos. Segundo a entidade promotora, "fizemos um grande esforço para que em todos os módulos as pessoas pudessem participar no museu". Por exemplo, no módulo da rádio, simulação da cabina de Rádio Clube Português na noite do 25 de Abril de 1974, com Joaquim Furtado, as pessoas podem gravar "Aqui posto de comando do Movimento das Forças Armadas" e publicar no YouTube (informação retirada da página do museu e de uma notícia da TSF)
publicado por industrias-culturais às 20:09
link | comentar | favorito

.mais sobre mim

.pesquisar

.Junho 2016

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
13
27
28
29
30

.Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

.posts recentes

. Museu de Rádio e Televisã...

. Prémio de melhor museu pa...

. Públicos dos museus

. NewsMuseum (Sintra)

. 2º Encontro de Casas-Muse...

. Côa ou as gravuras não sa...

. Museu de Lamego

. Museu do Douro

. "Museu Nacional Grão Vasc...

. News Museum, Sintra

.arquivos

. Junho 2016

. Maio 2016

. Abril 2016

. Março 2016

. Fevereiro 2016

. Janeiro 2016

. Dezembro 2015

. Novembro 2015

. Outubro 2015

. Setembro 2015

. Agosto 2015

. Julho 2015

. Junho 2015

. Maio 2015

. Abril 2015

. Março 2015

. Fevereiro 2015

. Janeiro 2015

. Dezembro 2014

. Novembro 2014

. Outubro 2014

. Setembro 2014

. Agosto 2014

. Julho 2014

. Junho 2014

. Maio 2014

. Abril 2014

. Março 2014

. Fevereiro 2014

. Janeiro 2014

. Dezembro 2013

. Novembro 2013

. Outubro 2013

. Agosto 2013

. Julho 2013

. Junho 2013

. Maio 2013

. Abril 2013

. Março 2013

. Fevereiro 2013

. Janeiro 2013

. Dezembro 2012

. Novembro 2012

. Outubro 2012

. Setembro 2012

. Agosto 2012

. Julho 2012

. Junho 2012

. Maio 2012

. Abril 2012

. Março 2012

. Fevereiro 2012

. Janeiro 2012

. Dezembro 2011

. Novembro 2011

. Outubro 2011

. Setembro 2011

. Agosto 2011

. Julho 2011

. Junho 2011

. Maio 2011

. Abril 2011

. Março 2011

. Fevereiro 2011

. Janeiro 2011

. Dezembro 2010

. Novembro 2010

. Outubro 2010

. Setembro 2010

. Agosto 2010

. Julho 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

. Dezembro 2007

. Novembro 2007

. Outubro 2007

. Setembro 2007

. Agosto 2007

. Julho 2007

. Junho 2007

. Maio 2007

. Abril 2007

. Março 2007

. Fevereiro 2007

. Janeiro 2007

. Dezembro 2006

. Novembro 2006

. Outubro 2006

. Setembro 2006

. Agosto 2006

. Julho 2006

. Junho 2006

. Maio 2006

. Abril 2006

. Março 2006

. Fevereiro 2006

. Janeiro 2006

. Dezembro 2005

. Novembro 2005

. Outubro 2005

. Setembro 2005

. Agosto 2005

. Julho 2005

. Junho 2005

. Maio 2005

. Abril 2005

. Março 2005

. Fevereiro 2005

. Janeiro 2005

. Dezembro 2004

. Novembro 2004

. Outubro 2004

. Setembro 2004

. Agosto 2004

. Julho 2004

. Junho 2004

. Maio 2004

. Abril 2004

. Março 2004

. Fevereiro 2004

. Janeiro 2004

. Dezembro 2003

. Novembro 2003

. Outubro 2003

. Agosto 2003

. Abril 2003

. Março 2003

.tags

. todas as tags

blogs SAPO

.subscrever feeds

Em destaque no SAPO Blogs
pub